Pulsar

Luiz duVa

Uma das pesquisas do artista Luiz duVa é a sobreposição de luzes estroboscópicas em diferentes frequências, gerando efeitos óticos que, combinados ao som meditativo, induzem o público a novos estados de percepção.

Criado para o festival Visualismo no Museu de Arte do Rio, Pulsar é uma versão em escala arquitetônica desse projeto. Uma grande quantidade de equipamentos de luz variados foram posicionados no vão central do museu, iluminando a marquise, enquanto o público observa deitado no chão.

O software desenvolvido pelo Bloco permite que o artista controle toda a luz através do som: o áudio de tigelas de cristal tocadas ao vivo é captado, analisado e determina o resultado visual. Uma interface simples e intuitiva permite ao artista alterar parâmetros com rapidez, abrindo possibilidades amplas de improvisação.

CRÉDITOS

Luiz duVa: concepção, performance e som
Matheus Leston (Bloco): programação
Visualismo: produção

Festival Visualismo
Museu de Arte do Rio
Rio de Janeiro

2015