Pulsar

Luiz duVa

Um dos campos de pesquisa do artista Luiz duVa é a sobreposição de luzes estroboscópicas em diferentes frequências, gerando efeitos óticos no observador e que, combinados com o som meditativo, podem induzir a novos estados de percepção.

Criado para o festival Visualismo no Museu de Arte do Rio, Pulsar é uma versão em grande escala desse projeto. Uma grande quantidade de equipamentos de luz dos mais diferentes tipos são posicionados no vão central do museu, iluminando a marquise equanto o público observa deitado no chão.

O software desenvolvido pelo Bloco permite que o artista controle todos os aparelhos de luz através do som: o áudio de tigelas de cristal é captado, analisado e influencia diretamente no resultado visual. Uma interface simples e intuitiva permite alterar parâmetros com rapidez, abrindo possibilidades bastante amplas de improvisação.

CRÉDITOS

Luiz duVa: concepção, performance e som
Bloco: programação

Festival Visualismo
Museu de Arte do Rio
Rio de Janeiro

2015